Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2018

Incas realizavam cirurgias mais eficazes do que médicos do século 19

Imagem
Crânios incas que indicam procedimento de trepanação (Foto: Universidade de Miami/ Reprodução)

Fósseis estavam marcados com “buracos” no crânio, sinais de que a civilização inca era adepta de uma técnica cirúrgica conhecida por trepanação

As civilizações pré-colombianas não param de surpreender historiadores. Além de seus já conhecidos feitos no ramo da arquitetura, agricultura, organização social e religiosa, esses povos também eram exímios médicos.

Segundo recente trabalho realizado por estudiosos da Universidade de Miami, Universidade de Tulane e Universidade do Arizona – todas as três nos EUA – os médicos incas realizavam cirurgias cranianas com mais eficácia do que os especialistas norte-americanos em atuação durante a Guerra de Secessão, no século 19.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores analisaram mais de 800 crânios de cidadãos incas encontrados em cavernas funerárias e em escavações arqueológicas nas áreas costeiras e em planaltos andinos do Peru.

Todos esses fóssei…

Entrevista - Niéde Guidon: A arqueologia do descaso

Imagem
Niéde Guidon é formada em História Natural na USP, com doutorado em Arqueologia pela Sorbonne

Jornal do Brasil
CELINA CÔRTES, celina.cortes@jb.com.br

Niéde Guidon é uma lenda viva. Graças à sua obstinação e perseverança, foi criado em 1979 o Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, maior concentração de vestígios ancestrais do mundo, alçado a Patrimônio da Humanidade em 1991. Aos 85 anos, afetada por uma Chikungunya que a forçou a usar uma bengala, essa paulistana, filha de pai francês e mãe brasileira, formada em História Natural na USP, com doutorado em Arqueologia pela Sorbonne — quando se exilou na França para fugir da ditadura militar —, veio ao Rio esta semana receber uma homenagem no Museu do Amanhã. O JB convidou outra lenda vida da paleontologia nacional, o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, 55 anos, para entrevistá-la. Maior arqueóloga do país — e uma das maiores do mundo —, Niéde revela que foi inaugurado em 2015 um aeroporto em São Raimundo Nonato (PI) p…

EL CAÑO – OS GUERREIROS DE OURO

Imagem
Saiu mais uma crônica da Coluna AMÉRICA MISTERIOSA!!!
Passa lá para conferir: https://www.pagina3.com.br/coluna/americamisteriosa

En México hallan ‘red de carreteras’ en un antiguo complejo maya

Imagem
En el estado mexicano de Quintana Roo descubren una red de carreteras en un antiguo complejo maya.

En México descubren una “red de carreteras” que unía los centros ceremoniales en un antiguo complejo urbano maya localizado en el sur este del país.

El descubrimiento de las vías de comunicación, situadas debajo de una densa capa de vegetación en el estado de Quintana Roo, se realizó con ayuda del sensor LIDAR, según informaron el sábado varios medios mexicanos.

“El uso de esa herramienta promete un cambio paradigmático en la manera de entender las sociedades del México antiguo”, destacó Javier López Camacho, académico de la Escuela Nacional de Antropología e Historia (ENAH) de México, en un comunicado.

El sensor LIDAR es capaz de “penetrar" con pulsos láser la cubierta vegetal con árboles de hasta 20 o 30 metros de altura y puede estar montado en aeronaves o drones.

El hallazgo forma parte de una investigación que incluye el estudio de sistemas agrícolas, el cual podría impactar en …

Hallan en Pachacámac una momia intacta de 1,000 años envuelta en algodón

Imagem
La excavación de la momia estuvo a cargo de un grupo de arqueólogos belgas. | Fuente: ULB TV

La reliquia histórica fue descubierta por arqueólogos de la Universidad Libre de Bruselas (Bélgica).

Por: (Agencia N+1 / Beatriz de Vera)

Un equipo del centro de investigación arqueológica (CReA-Patrimoine) de la Universidad Libre de Bruselas (Bélgica) ha descubierto una momia de mil años en excelentes condiciones en Pachacamac, un sitio arqueológico en Perú que bajo el Imperio Inca sirvió como lugar de peregrinación.

La excavación se llevó a cabo como parte del proyecto Ychsma, que lleva el nombre de los pueblos nativos de la región. Durante la campaña, se exploraron tres estructuras monumentales, incluido un santuario dedicado a los antepasados locales. Bajo el gobierno Inca, a fines del siglo XV, este área parece haberse transformado en un templo de agua y curación. Los arqueólogos han descubierto muchas ofrendas de adoradores, como las conchas de Spondylus importadas de Ecuador; asociados…

As rochas que podem reescrever a história da chegada do homem às Américas

Imagem
Jason Briner. Image caption Cientistas foram a lugares remotos, como a ilha Suemez, no Alasca, para estudar formações rochosas.

Por: Edison Veiga De Milão para a BBC Brasil

Não é de hoje que muitos questionam a teoria mais consolidada para a chegada dos primeiros homens à América, aquela segundo a qual nossos ancestrais teriam vindo pelo Estreito de Bering, uma espécie de ponte natural surgida entre os territórios que hoje são o Alasca e o extremo leste da Rússia, de lá entrado no oeste do Canadá e, então, se espalhado pelo continente.

Uma equipe de geólogos analisou estruturas rochosas em quatro ilhas do arquipélago de Alexander, 320 quilômetros ao sul de Juneau, capital do Estado americano do Alasca, e em estudo publicado nesta quarta, demonstra que o caminho das primeiras populações América adentro foi pela costa – pelo menos 4 mil anos antes de a travessia por Bering ter se tornado viável.

"Nosso estudo fornece algumas das primeiras evidências geológicas de que uma rota coste…

Así son las fascinantes nuevas figuras de Nasca descubiertas en Perú

Imagem
Luis Jaime Castillo. Image caption A diferencia de los geoglifos de la cultura Nasca, las figuras de Paracas se encuentran en laderas de montañas y no en superficies planas.

Redacción BBC News Mundo

Un equipo de investigadores peruanos descubrió en la zona del valle del Palpa, a unos 50 kilómetros de los famosos geoglifos de Nasca, 25 nuevas figuras diseñadas por la cultura Paracas.

Se trata de geoglifos anteriores a aquellos de la cultura Nasca (1-650 d.C.), ya que pertenecen a la cultura Paracas (800-200 a.C.) y Topará (200- 1 a.C.), le dijo a BBC Mundo el arqueólogo del Ministerio de Cultura de Perú y colíder del Proyecto Paracas, Johny Isla.

Luis Jaime Castillo. Image caption Imagen de una familia real hallada entre los nuevos 25 geoglifos del valle del Palpa.

Johny Isla. Image caption Las nuevas figuras cercanas a Nasca se componen de más seres antropomorfos y, en menor grado, seres zoomorfos.

El hallazgo forma parte de uno hecho el pasado mes de abril en la misma zona y que constab…

O Enigma dos Fornos Andinos

Imagem
Saiu a 57ª crônica da Coluna AMÉRICA MISTERIOSA!!!
Passa lá para conferir: https://www.pagina3.com.br/coluna/americamisteriosa

O sítio arqueológico coberto por lava de vulcão há 1.400 anos e que segue intacto

Imagem
Joya de Cerén, en El Salvador, é um sítio arqueológico com características únicas (Foto: Getty Images)

Atingido pela lava de um vulcão, o sítio Joya de Cerén foi encontrado intacto; pesquisadores ainda procuram sinais de restos humanos.

Por BBC

"É uma cápsula do tempo extraordinária".

Assim define o arqueólogo Payson Sheets o sítio arquelógico Joya de Cerén, local descoberto por ele em El Salvador. O espaço é conhecido como Pompeia da América, mas Sheets prefere não se referir ao lugar dessa forma. "Seria me gabar demais", diz à BBC Mundo, serviço em espanhol da BBC.

A comparação com a cidade italiana, cuja população de milhares de pessoas foi morta por uma erupção do monte Vesúvio no ano 79, ocorre porque a lava que destruiu Joya também preservou a arquitetura e os artefatos da época, que permanecem nas posições em que estavam no momento da tragédia.

Os especialistas concordam que Joya de Cerén é um local singular e um dos sítios arqueológicos mais importante do…

Três em cada quatro sítios arqueológicos da Bahia estão degradados

Imagem
Sítios arqueológicos em Campo Formoso foram pichados (Foto: Cristiana Santana/LAP-Uneb)

Entre os mais de 1,3 mil sítios, há quem diga até que houve passagem dos incas por aqui

O carpinteiro Manoel Fernando da Silva, 38 anos, morou a vida inteira em Campo Formoso, no Centro-Norte do estado. Desde criança, sabia reconhecer o que era uma pintura rupestre – tão presente em cavernas e rochas da cidade. Campo Formoso é um dos municípios baianos que mais têm sítios arqueológicos – só cadastrados no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), são 26.

O problema é que boa parte desses sítios está degradado. No povoado de Queixo Dantas, onde ele vive, basta andar cerca de um quilômetro para encontrar as pinturas. Só que muitas delas reúnem, hoje, pichações e riscos em tinta preta – todos feitos não pelos antepassados, mas por gente do presente mesmo.

"Tinha um pessoal da localidade que andava fazendo isso. Saía da comunidade, ia para os locais, ficava brincando. Essa ju…