MASP MOSTRA TÊXTEIS PRÉ-COLOMBIANOS!

NECRÓPOLE [PARACAS NECROPOLIS], 200 A.C. [BC] - 200 D.C [AD]

No próximo dia 14 de junho, o MASP inaugura uma exposição inédita e fascinante, com tecidos pré-colombianos de mais de 2.000 anos. É a mostra “Comodato MASP Landmann – Têxteis pré-colombianos”.

A mostra, organizada pela arqueóloga e historiadora Marcia Arcuri, reúne mais de 100 tecidos produzidos entre 800 aC e 1532 dC, provenientes de antigos povos do Peru e Bolívia. A maior parte dos tecidos foram encontrados em sepulturas das elites governamentais, e são representativas de diversos senhorios, entre elas as de Paracas, Nasca, Moche, Chavin, Chimu, Lambayeque, Inca, Ica e Chancay.

NASCA,100 A.C. – 700 D.C. FRAGMENTO DE TECIDO. LÃ, ALGODÃO E PIGMENTO, 11 × 15 CM. C.01027

Segundo Marcia Arcuri, a produção têxtil “constitui uma fonte preciosa para acessar traços dos costumes cotidianos, da cultura e da organização sociopolítica das populações pré-colombianas”. Não sem motivo, as temáticas aplicadas aos têxteis resgatam uma sofisticada relação desses povos com as concepções de tempo, astronomia, origem da vida e morte. Tão importante quanto as cerâmicas, os têxteis revelam muito do modo de vida de nossos antepassados americanos.

A exposição do MASP, contudo, busca aproximar a produção têxtil à suas produtoras, que no mundo Andino foi realizado sobretudo pelas mulheres. Isso faz dos tecidos, um testemunho vivo e interessante da história de gênero. As mulheres, no mundo pré-colombiano, alcançaram destacado status social, pela ação que tinham na transmissão de códigos e tradições através de seus tecidos.

NASCA - HUARI [NAZCA-WARI], 530-650

A mostra só foi possível graças a um comodato firmado em 2016, entre o MASP e os responsáveis pela Coleção Edith e Oscar Landmann, um dos mais importantes acervos de arte pré-colombiana da América Latina. Oscar Landmann, empresário e cônsul-geral na Colômbia, iniciou essa coleção ainda na década de 1930. Foram mais de 50 anos coletando artefatos de cerâmica, metal e tecido de diversos povos, originando uma coleção de 900 peças de arte. Entre os anos de 1940 e 1960, Oscar Landmann ampliou seus contatos e sua coleção, adquirindo peças de pouco interesse aos huaqueros, os chamados “caçadores de tumbas”.

A exposição “Comodato MASP Landmann – Têxteis pré-colombianos” faz parte de um ciclo de eventos – simpósios, palestras, workshops – cujo tema é “Histórias das mulheres, histórias feministas”. Este ciclo temático agrega também artistas contemporâneos, como Gego, Leonor Antunes, Lina Bo Bardi, Djanira da Motta e Silva e Anna Bella Geiger.

ICHSMA -PACHACAMAC, 600-1000. TURBANTE. LÃ, ALGODÃO E PIGMENTO, 51 × 51,5 CM. C.01125

Na ocasião da exposição, serão lançados o catálogo “Comodato MASP Landmann: vol. 1 – têxteis pré-colombianos”, com 240 páginas e textos inéditos de especialistas como Carmen Thays Delgado, Delia Aponte Miranda, Denise Y. Arnold e a própria Marcia Arcuri. Também na abertura, a Sala de Vídeo do MASP apresenta “La Libertad”, curta-metragem de Laura Huertas Millán, que decorre sobre a milenar tradição andina da tecelagem e sua relação com a liberdade.

COMODATO MASP LANDMANN
De 14/06 a 28/07 de 2019 (2º subsolo)
Avenida Paulista, 1578, São Paulo – SP
Tel: (11) 3149-5959
Quarta a domingo, das 10h às 18h (bilheteria aberta até 17:30h)
Terça das 10h às 20h (bilheteria até 19:30h)
Ingressos: R$ 40,00 (entrada); R$ 20,00 (meia entrada)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hallan más de cien fardos funerarios de hace 1000 años en Bolivia

Pintura y aceite afectan piezas líticas de Tiwanaku

Devuelve FBI a México piezas arqueológicas de la cultura teotihuacana