LA GALGADA E OS ALTARES DE FOGO

Por: Dalton Delfini Maziero - 03.03.2023

O Peru é um país que nos presenteia com alguns dos maiores mistérios arqueológicos do continente, devido as suas profundas raízes de ocupação humana. Muitas destas incertezas se concentram nos períodos mais tardios de sua história, como o Lítico (15000-7000 a.C.) e o Pré-Cerâmico (6000-2000 a.C.), dentro do qual surgiu o assentamento conhecido como La Galgada (3000-1700 a.C.), também chamada na região por San Pedro.

La Galgada está inserida dentro de um movimento de complexidade social pelo qual os Andes vinham passando. Embora muitas comunidades não tivessem descoberto a cerâmica – ou seja, não possuíam esses objetos para cozinhar e armazenar mantimentos -, os Andes peruanos, em especial seu litoral, sentiu um aumento considerável da população. Mais que isso, algumas comunidades começaram a criar uma arquitetura monumental, com pirâmides e templos.

Assim como outros assentamentos da época, La Galgada se caracterizou como um espaço dedicado a atividades cerimoniais. Existiram sim cabanas em torno deste centro monumental, mas provavelmente esses espaços “residenciais” eram usados de forma temporária. Da mesma forma, o vale de Tablachaca (Província de Pallasca, Peru) abriga cerca de outros 10 sítios arqueológicos de características semelhantes, formando assim o que foi no passado um centro “metropolitano” pertencente a um distrito maior, com as mesmas tradições culturais e arquitetônicas.

Na década de 1960, suas ruínas eram disputadas por huaqueros, caçadores de tesouro que buscavam em suas sepulturas, artefatos que pudessem gerar algum dinheiro. Graças as ações das autoridades locais, uma equipe de arqueólogos foi chama – Terence Grieder da Universidade de Austin – Texas (EUA) e Alberto Bueno Mendoza da Universidad Mayor de San Marcos (Peru) – para realizar um levantamento que confirmou tratar-se de um local pré-cerâmico. O maior período de escavação contudo, ocorreu somente entre 1978 e 1985.

La Galgada compartilha características da chamada Tradição Mito ou Tradição dos Altares de Fogo, que consiste em um templo de acesso único em formato quadrado ou circular, com piso em dois níveis e a presença de um pequeno poço onde se acendia o fogo sagrado para a queima de oferendas. O recinto ficava no topo de uma pirâmide escalonada com cantos arredondados e cerca de 13 metros de altura. Diante da pirâmide, uma praça circular semi-subterrânea encontrada em vários outros assentamentos de época. Os arqueólogos detectaram cerca de 40 intervenções na construção deste complexo.

La Galgada deve ser compreendida como parte de uma tradição arquitetônica e religiosa emergente em época muito antiga, onde os homens vinham, aos poucos, estabelecendo as práticas determinantes que culminariam com os grandes e poderosos impérios Andinos.

Dalton Delfini Maziero é historiador, escritor, especialista em arqueologia e explorador. Pesquisador dos povos pré-colombianos e história da pirataria marítima. Visite a Página do Escritor (https://clubedeautores.com.br/livros/autores/dalton-delfini-maziero)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Las Piedras de Ica: cuando el hombre vivió entre los dinosaurios

LA LÁPIDA DE PAKAL REPOSA DE NUEVO SOBRE EL SARCÓFAGO

Qhapac Ñan: el mayor camino peatonal de la historia universal, el cual unió a pueblos precolombinos de sudamérica.