sábado, 8 de novembro de 2014

Os Sarcófagos de Karajia


Cerca de 60 km a nordeste da cidade de Chachapoyas, na província de Luya, no Peru, encontra-se o sítio arqueológico de Karajia, onde os túmulos funerários dos "sábios antigos" estão localizados.

Empoleirados no alto de uma saliência ao lado de um penhasco de calcário, os seis sarcófagos (caixões esculpidos e exibidos acima do solo) que se assemelham a seis torsos desmembrados com cabeças grandes e enormes mandíbulas, descansam orgulhosos com seus queixos para cima e de frente para o abismo. Alguns dos capacetes estão embelezados com chifres, imitando galhadas de veado, enquanto outros têm crânios humanos incrustados, que se presume que sejam troféus. Cada peça tem 2,5 metros de altura.

Os sarcófagos foram construídos pelo povo Chachapoya para abrigar os restos mortais de pessoas importantes em sua cultura, há cerca de 600 anos. Originalmente, haviam oito ataúdes, mas dois foram destruídos por terremotos e outros elementos naturais. Sua localização inacessível acima de um desfiladeiro do rio tem, felizmente, preservado as peças da destruição por saqueadores.

Os sarcófagos possuem a forma de grandes cápsulas feitas de uma mistura de argila, palha e cascalho espalhados sobre uma estrutura de madeira e cada um tem espaço para abrigar uma múmia. Os falecidos eram colocados na posição fetal, envolvidos em um casulo de canas silvestre amarradas com barbante. Essa estrutura era então coberta com uma espessa camada de argila e palha como material de ligação. Depois, a cabeça era esculpida e colocada em cima. A peça era pintado de branco, enquanto a cabeça e capacete eram decorados com traços ocres delicadamente escovados.

Túnicas de penas, também pintadas com ocre, adornavam o corpo do sarcófago. O sexo do falecido, também era exibido em forma de cone no corpo de cada ataúde.

Os sarcófagos de Karajia não são os únicos na área de Chachapoyas, mas eles são os mais importantes. Na margem ocidental do rio Utcubamba norte de Kuelap, muitos outros de tamanhos variados foram registrados. Os sarcófagos são tão inacessíveis que só alguns poucos arqueólogos e equipes de TV conseguiram chegar perto deles.

Os "Purunmachos" como as pessoas locais chamam, foram expostos ao mundo em 1984, depois de sua descoberta pelo arqueólogo Federico Kauffmann.

Fonte: http://www.curionautas.com.br/2014/11/os-sarcofagos-de-karajia.html (03/11/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário