sábado, 21 de fevereiro de 2015

Turismo em Machu Picchu: 10 lugares para ver na cidade inca

Mais que observar do alto, Machu Picchu deve ser explorado em cada detalhe. Conheça algumas das principais atrações do santuário inca no Peru

Machu Pìcchu é um dos destinos turísticos mais conhecidos da América do Sul

Desde que foi revelado ao mundo pelo explorador norte-americano Hiram Bingham, em 1911, Machu Picchu se transformou em um dos principais destinos turísticos da América do Sul. Todos os anos, milhares de viajantes chegam ao Peru especialmente para conhecer o santuário inca, um dos mais impressionantes conjuntos arqueológicos do mundo.

Declarado Patrimônio Mundial da Humanidade, e eleito uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, Machu Picchu fascina as pessoas especialmente pela sua história envolta em mistérios, magnitude e localização, fincada entre a Cordilheira dos Andes – a 2.430 metros de altitude –, e a Amazônia peruana.

Até hoje os especialistas discutem sobre a real função que Machu Picchu ocupava no Império Inca. Era um observatório astronômico? Uma fortaleza? Uma zona agrícola? Ou tudo isso combinado? Mesmo com mais questões que respostas, o fato é que é um legado de valor inestimável, um lugar para ir ao menos uma vez na vida.

A melhor época para visitar as ruínas é durante a estação seca, entre abril e outubro. Nos meses de junho e julho, período de férias nos Estados Unidos e Europa, o lugar atrai uma grande quantidade de turistas, o que pode atrapalhar um pouco o passeio.
Ao chegar à cidade de Cusco, depois de comprar o ingresso antecipadamente, o turista pode fazer o trajeto de trem até o povoado de Água Calientes. Os mais aventureiros preferem encarar a Trilha Inca, um dos caminhos de trekking mais populares do mundo.

Para te ajudar durante a visita, selecionamos os lugares imperdíveis para explorar em Machu Picchu. Do fascinante Templo do Sol aos engenhosos terraços agrícolas, descubra 10 atrações da lendária 'Cidade Perdida dos Incas':

Porta do Sol (Inti Punku) - Para quem faz a Trilha Inca, esse é o ponto onde Machu Picchu aparece pela primeira vez. Normalmente os grupos chegam ao local pela manhã, bem cedo, para ver os primeiros raios de sol iluminando a cidade. O visual desse ângulo é de tirar o fôlego, com destaque para o vale, o rio Urubamba e as montanhas que cercam o santuário. Os visitantes que entram pelo acesso principal do parque também podem conhecer a Porta do Sol. A caminhada leva aproximadamente duas horas, ida e volta.

A Porta do Sol é o primeiro ponto onde os aventureiros da Trilha Inca podem ver o santuário de Machu Picchu

Templo Principal - Ao norte da chamada "Praça Sagrada" fica este importante templo, ladeado por três muralhas altas. Por conta do trabalho impecável nas grandes pedras talhadas, especialistas acreditam que ali ficava o lugar mais importante da cidadela, onde eram realizados rituais sagrados e celebrações de maior significado espiritual para os incas. Na parte da frente do templo, é possível ver uma pequena pedra esculpida que poderia ter sido uma representação do Cruzeiro do Sul. Já atrás, e conectado à construção principal, ficam as ruínas da Sacristia.

Segundo historiadores, o Templo Principal é o lugar mais importante da cidadela inca

Huayna Picchu - É a montanha que aparece atrás das ruínas em praticamente todas as fotos panorâmicas de Machu Picchu. Somente 400 pessoas ao dia estão autorizadas a subir, mediante a aquisição de um ingresso especial (veja aqui como comprar). Apesar da subida íngreme, o visual lá de cima compensa todo o esforço!

A montanha de Huayna Picchu aparece na maioria das fotografias que retratam Machu Picchu

Templo do Sol - Também chamado de Torreón, o Templo do Sol é uma das mais famosas construções incas. A edificação de paredes curvas, a única desse tipo em Machu Picchu, apresenta uma execução impressionante, com todas as pedras se encaixando perfeitamente. A partir de um ponto acima do templo, é possível observar a janela alinhada especialmente para o solstício de inverno, quando os raios de sol entram e iluminam a pedra no centro.

O Templo do Sol é a única construção atual de paredes curvas do santuário

Intihuatana - O "lugar onde se amarra o sol", na língua quíchua, é um pilar de pedra esculpida situado no terraço mais alto de Machu Picchu. Os astrônomos incas eram capazes de prever os solstícios usando apenas os ângulos desta rocha. Isso os auxiliavam na hora de escolher a melhor época para o plantio e colheita, assim como descobrir os pontos cardeais para orientar o posicionamento das construções. Como a pedra não pode ser tocada, é comum ver os turistas estenderam a mão sobre ela para captar a energia do monumento.

A pedra Intihuatana era usada como uma espécie de calendário astronômico e agrícola pelos incas

Templo do Condor - Ave mais sagrada para os incas, símbolo da produção e fertilidade, o condor está representado neste templo por meio de uma escultura no chão, que seria a cabeça e o corpo do animal, e pelas rochas escuras laterais, que simbolizariam as asas abertas. Na parte subterrânea do templo estão os calabouços de Machu Picchu. Acredita-se que as masmorras foram utilizadas para o cárcere de prisioneiros.

No Templo do Condor, a escultura no chão representaria a cabeça e o corpo da ave

Templo das Três Janelas - A construção é uma das mais importantes de Machu Picchu por conta de sua localização próxima a um dos pontos de maior valor espiritual para a civilização: a Praça Principal. O templo tem três paredes erguidas sobre uma base retangular. Em um dos muros há três janelas entre o encaixe de pedras, que indicam a localização exata do nascer do sol. Cada uma delas representaria os três níveis que incas dividiam o mundo andino: o céu ou a espiritualidade (Hanan Pacha), a superfície terrestre ou mundana (Kay Pacha) e o subterrâneo ou a vida interior (Ukju-Pacha).

O Templo das Três Janelas fica no setor sagrado da cidade, próximo ao Templo Principal

Terraços - O setor agrícola, ao sul de Machu Picchu, é uma das mais fascinantes obras do santuário. São diversas áreas de cultivo, organizadas em terraços (andenes) que acompanham o comprimento das encostas do vale. Além da função agrícola, as estruturas escalonadas também evitavam os deslizamentos de terra.

Os terraços de cultivo agrícola são uma das obras mais engenhosas de Machu Picchu

Ponte Inca - Além do complexo principal, a oeste de Machu Picchu, fica a Ponte Inca, construída em cima de pedras empilhadas e com uma vista espetacular. Acredita-se que o caminho funcionou como uma entrada/saída secreta da cidade inca. A caminhada até lá é feita por uma trilha bem estreita e dura, em média, meia hora.

A Ponte Inca fica a 30 minutos de caminhada por uma trilha estreita

Tumba Real - Situada abaixo do Templo do Sol, a caverna de rocha natural foi cuidadosamente esculpida e pode ter abrigado o mausoléu de um importante governante da época. Apesar da especulação, nenhum vestígio de corpo humano foi encontrado no local. Entre as figuras talhadas no interior está a representação de Pachamama, a divindade máxima da região dos Andes.

Historiadores acreditam que essa caverna natural funcionava como um mausoléu

Fonte: http://www.pureviagem.com.br/noticia/turismo-em-machu-picchu-10-lugares-para-ver-na-cidade-inca_a4375/1 (05/02/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário