domingo, 23 de agosto de 2015

Amigos,
Muito feliz e emocionado com a opinião de um leitor (agora amigo!) do meu livro sobre o TITICACA. Ele permitiu que eu reproduzisse algumas linhas da carta que enviou a uma amiga em comum:


“Esse últimos dias me permitiram ler o grande livro (em todos os sentidos) do seu amigo maluco que contornou o Titicaca a pé.
Gostaria de dizer que seu amigo Dalton é realmente uma pessoa muito diferente. A coragem dele em realizar essa expedição a pé em torno do Titicaca é algo surpreendente. Isso sem falar no conceito da expedição em si. Nunca antes tinha lido nada tão profundo sobre o tema, sobre a região, apesar de gostar muito da cultura andina. Acredito que até hoje ninguém tenha feito algo semelhante. Ser pioneiro é sempre muito mais difícil. Ele realmente se superou.
E pensar que já fiquei maravilhado lendo relatos de viajantes que percorreram caminhos já tão mapeados e conhecidos, como por exemplo a Trilha Inca, Pacific Crest Trail, Caminho de Santiago, entre tantos outros. Como você bem sabe, natureza, história e aventura são coisas que sempre me encantaram.
Eu que tive o prazer de conhecer o lago durante o mochilão que fiz até Macchu Picchu, consigo imaginar um pouco das dificuldades e também belezas que ele encontrou pelo caminho. Lendo o livro dele, me surpreendi, viajei junto, e até sofri junto, pois na verdade ele enfrentou muitas dificuldades que eu não poderia imaginar.
Aprendi com ele ao ler a passagem da tecelã aymara que recusou a foto, e até o dinheiro oferecido em troca da foto, por ser achar feia e suja.
A tempestade de areia que quase o engoliu enquanto visitava as ruínas de Pucara. Ter andado sozinho por zonas de periferia, desertas, enquanto muita gente recomendava tomar cuidado com os ladrões. O momento em que teve que despistar garimpeiros mal intencionados no meio do nada. Foram muitos momentos intensos.
Quando estive por lá, minha experiência nessa região se resumiu a visitar a cidade de Copacabana, ainda do lado Boliviano, cruzar as águas para descer na Isla del Sol, dormir uma noite em um albergue no alto da ilha. Fazer o trekking de meio dia, indo de ponta a ponta da Ilha, na trilha que segue no alto das montanhas, e depois segui minha viagem para Cusco. Não imaginava que tivesse tanta coisa interessante na região do lago, tantas ruinas, tanta história. História tão bem contata pelo seu amigo.
Obrigado por ter me emprestado esse grande livro. Aliás, se puder, encaminhe meu email ao Dalton. Diga que aguardo para saber qual será a próxima aventura.”

Maximiliano Cunha

http://www.amazon.com.br/Titicaca-busca-antigos-mist%C3%A9rios-pr%C3%A9-colombianos-ebook/dp/B00UEV1XCO/ref=sr_1_1?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1428098612&sr=1-1&keywords=Titicaca#40961479395627975

Nenhum comentário:

Postar um comentário