quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Exposição reúne 43 peças do acervo de arqueologia amazônica do MAE

Foto 01: Urna Funerária (século X-XVI)

No próximo dia 26 de agosto (quarta-feira) será aberta ao público, no saguão da Reitoria, a exposição “MAE/USP e a Amazônia: alguns olhares da Arqueologia”, organizada pelo Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da Universidade.

O MAE é uma instituição museológica universitária que realiza ensino, pesquisa e extensão. O acervo do Museu é composto por aproximadamente 1.500.000 itens, incluindo objetos arqueológicos e etnográficos de diferentes continentes e épocas diversas, desde a Europa Paleolítica, com dezenas de milhares de anos de antiguidade, até a produção recente de artefatos dos povos indígenas do Brasil.

Montada no saguão da Reitoria, a exposição reúne 43 peças oriundas do acervo de arqueologia amazônica, considerado um dos maiores do Brasil e formado por três coleções principais: a Coleção Harald Shultz, constituída a partir dos anos 50; a Coleção Tapajônica, adquirida na década de 1970 de Ubirajara Bentes, um colecionador da cidade de Santarém no Pará; e a Coleção Banco Santos, sob a guarda do museu desde 2005, por decisão judicial.

A exposição ficará aberta ao público até o dia 6 de novembro, de segunda a sexta, das 9h às 18h. A entrada é gratuita. O prédio da Reitoria está localizado na Rua da Reitoria, 374, Cidade Universitária, em São Paulo.

Confira, a seguir, algumas peças que compõem a exposição:

Foto 02: Estatueta Antropomorfa (século III–XIII)

Foto 03: Tanga (século III-XIII)

Foto 04: Vaso de Cariátides (século X–XVII)

Espaço expositivo
Essa é a terceira exposição a ocupar o saguão da Reitoria, que tem se caracterizado como importante espaço expositivo na Cidade Universitária. Em 2014, entre os meses de novembro e dezembro, duas exposições ficaram em cartaz: “Matemateca”, organizada pelos professores do Instituto de Matemática e Estatística (IME), que apresentou diversos objetos com significado matemático, desde jogos de tabuleiro 3D até formas geométricas que poderiam ser consideradas obras de arte; e “Porquoi les Mathématiques?”, montada em parceria com a Maison des Mathématiques et de l’Informatique de Lyon.

Entre abril e julho deste ano, a exposição “Traço|Compassos: Mário de Andrade em caricaturas”, organizada pelo Instituto de Estudos Brasileiros (IEB), homenageou os 70 anos da morte do escritor. A exposição reuniu cerca de 30 obras assinadas por Nássara, Millôr Fernandes, Paulo Cavalcanti, Antonio Paim Vieira, Hilde Weber, José Corrêa Moura, Nicolielo, Hippert, Baptistão, Cláudio Duarte, entre outros artistas.

(Fotos: Ader Gotardo)

Fonte: http://www.usp.br/imprensa/?p=51973 (19/08/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário