sábado, 25 de fevereiro de 2012

Descobrem entretenimento milenar maia no México

Por camila carduz

México (Prensa Latina) Um tabuleiro de mais de mil anos, usado como jogo ou objeto de divinação, foi achado na zona maia por arqueólogos mexicanos, deu-se a conhecer.

Esta descoberta foi feita na zona arqueológica de Dzibilnocac, no estado de Campeche, durante trabalhos de restauração no lugar denominado Edifício A1, informou o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH-Conaculta).

O patolli ("jogo" em língua náhuatl) tem 50 centímetros de longitude, está dividido em 58 retângulos de diversos tamanhos e em alguns destes há cruzes traçadas, explicou o arqueólogo Heber Ojeda.

Estima-se que esse objeto fosse usado entre os anos 600 e 900 de nossa era, quando a então cidade de Dzibilnocac estava em seu apogeu.

A experiente Judith Galegos, que já estudou um patolli descoberto anteriormente nesse estado, explicou que este jogo foi descrito em códices, bem como por cronistas espanhóis.

Comentou que os maias tinham uma grande aficção a esse passatempo,que durante a colonização foi considerado proibido, ao ser catalogado como idolátrico e pagão.

Acrescentou que este tipo de tabuleiro, para além de seu uso para o jogo ou para a aposta, também pôde ser utilizado como um instrumento de adivinhação.

A civilização maia no México habitou o território hoje compreendido por cinco estados do sudeste, que são, Campeche, Chiapas, Quintana Roo, Tabasco e Yucatán. Assim mesmo povoou zonas dos atuais países de Guatemala, Belize, Honduras e El Salvador.

rc/jgs/cc

Fonte: http://www.prensa-latina.cu/index.php?option=com_content&task=view&id=481016&Itemid=1 (24/02/2012)

Nenhum comentário:

Postar um comentário