quarta-feira, 5 de maio de 2010

Amazônia possui cidade mais antiga do País


National Geographic revela que na cidade de Santarém, no Pará, se encontram o que talvez sejam as cerâmicas mais antigas das Américas

ALEXANDRE MORENO
contato@agenciaamazonia.com.br

SÃO PAULO – Comemorando 10 anos no mercado editorial brasileiro, revista embarca na expedição do arqueólogo Eduardo Neves e descobre uma Amazônia de mil anos atrás até hoje desconhecida, onde uma população de mais de cinco milhões de habitantes já usufruíam de uma sofisticada cultura.

Em maio de 2000, a revista National Geographic desembarcava no Brasil por meio do licenciamento da marca pela Editora Abril. Hoje, ao completar 10 anos de sucesso no mercado editorial brasileiro, a publicação segue cumprindo sua missão de levar conhecimento e beleza aos seus leitores, e apresenta uma história de (re)descobrimento do Brasil com fatos inéditos ao senso comum - e até ao acadêmico. Coordenada pelo brilhante arqueólogo Eduardo Neves, uma expedição aos sítios da Amazônia levanta fortes indícios da existência de civilizações com origens pré-coloniais, revelando autores de uma arte sofisticada. A reportagem de capa da edição de aniversário de National Geographic Brasil, assinada pelo próprio Neves, interpreta com maestria as descobertas deste passado achado nos sítios arqueológicos.

Nas páginas de National Geographic Brasil de maio, os leitores terão acesso a dados que contrapõem o que se aprende nas escolas sobre a história do Brasil. A Amazônia estava repleta de sociedades indígenas no ano 1000, algumas hierarquizadas, lideradas por chefes supremos, capazes de comandar um exército de guerreiros. Com uma população estimada em mais de 5 milhões de pessoas, a maior floresta tropical do planeta nesta época já era berço de profundo florescimento cultural. Antes mesmo de a Renascença surgir na Itália, cerâmicas com padrões gráficos sofisticados já eram produzidos em Marajó e nas regiões de Manaus e Santarém - esta, talvez, seja a cidade brasileira mais antiga com origens pré-coloniais.

Em sua reportagem, Neves informa que em Santarém se encontram o que talvez sejam as cerâmicas mais antigas das Américas, nos sítios de Taperinha e da Caverna da Pedra Pintada, com datas que podem chegar a 6000 anos a.C. Por esta razão, Santarém é considerada pelos arqueólogos a cidade brasileira mais antiga com origens pré-coloniais. O arqueólogo acredita que, à medida que as pesquisas avançarem, novas surpresas sobre o passado surgirão. Ele lembra, porém, que os arqueólogos disputam uma corrida contra o tempo: a ocupação desenfreada da Amazônia pode destruir não só o seu futuro, mas também o seu passado.

Eduardo Neves, o autor da reportagem de capa da edição de aniversário de National Geographic Brasil, é graduado em História pela Universidade de São Paulo e Doutor em Arqueologia pela Universidade de Indiana, EUA. É professor do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, onde ensina na Graduação e Pós-Graduação. É credenciado para lecionar e orientar no programa de pós-graduação em Ciências do Ambiente da Universidade Federal do Amazonas. Foi consultor para a implementação do Curso Superior de Tecnologia em Arqueologia da Universidade do Estado do Amazonas. Lecionou e orienta projetos acadêmicos na Universidad del Centro de La Provincia de Buenos Aires, Olavarría, Argentina. Realiza pesquisas e orienta trabalhos acadêmicos na Amazônia brasileira, principalmente em sua porção ocidental. É presidente da Sociedade de Arqueologia Brasileira (Biênio 2009-2011).

Ainda no mês de aniversário, National Geographic Brasil reserva outras surpresas:
•Conhecido mundialmente pela famosa imagem da menina afegã, que atravessa tempos e gerações, Steve McCurry assina as fotografias que ilustram com brilhantismo e sensibilidade a matéria Drama Nômade, sobre a vida dos 80 milhões de nômades da Índia, um dos destaques da edição de aniversário da revista.
•A National Geographic Brasil 10 anos traz também a matéria Os segredos do sono, com as mais recentes pesquisas sobre o sono. A ciência já sabe que o ser humano gasta em média um terço da vida dormindo, mas ainda tenta entender o que acontece com as pessoas enquanto dormem.
•Nas páginas desta edição comemorativa, a reportagem Espíritos inquietos mostra alguns santos não consagrados pela Igreja que são venerados no México. Eles são frutos do submundo do crime e do narcotráfico.
•A reportagem Na estrada esquecida, o destaque é a trilha lendária onde chineses e tibetanos vendiam chá e cavalos. Os restos dessa rota revelam hoje paisagens magníficas - e um novo comércio.

National Geographic Brasil
Lançada no Brasil em maio de 2000 pela Editora Abril, a revista National Geographic traz conhecimento e beleza, juntos em cada edição. Sua missão é: "inspirar as pessoas a cuidar do planeta". Cobre de arqueologia a futurologia, com destaque para ciência, história, espaço, cultura e ecologia.

Em 1888, um grupo de exploradores, cientistas, cartógrafos, topógrafos, educadores e inventores fundou a National Geographic Society com a missão de ´estimular e difundir o conhecimento geográfico´. Poucos dos 33 presentes na ocasião poderiam imaginar o alcance da organização no futuro. No mesmo ano, foi lançada sua publicação oficial, a National Geographic, mais tarde - por indicação de Alexandre Graham Bell, segundo presidente da NGS (e inventor do telefone) - transformada em uma publicação popular que desse suporte financeiro à sociedade. O resultado foi excepcional.

Nas décadas seguintes a revista se tornaria referência de jornalismo e de fotografia enquanto a sociedade organizava expedições que marcariam o século 20. A NGS concedeu mais de 8 mil bolsas de iniciação científica nos últimos 120 anos. Produz, ainda, documentários, programas de televisão, livros, atlas, websites e materiais didáticos.

Fonte: Brasil, www.agenciaamazonia.com.br/ (27/04/2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário