domingo, 28 de fevereiro de 2010

Arqueólogos encontram antigos poços funerários no norte do Amapá



Sítio tem cerca de mil anos, diz pesquisador do Iepa.
No local, foram encontradas peças de cerâmica com formas humanas.


Dennis Barbosa Do Globo Amazônia, em São Paulo

Uma equipe de arqueólogos descobriu dois poços funerários com vasos de cerâmica num sítio em Calçoene, no norte do Amapá. O local já era conhecido desde 2006 por causa de círculos de pedra que foram encontrados sobre o solo. Agora, no entanto, o grupo liderado por João Saldanha e Mariana Cabral, do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) explorou o que havia sob as grandes placas rochosas depositadas no local.

Saldanha explica que os poços têm cerca de mil anos e que os vasos encontrados são surpreendentes porque têm formas humanas, como as cerâmicas encontradas pelo célebre pesquisador Emílio Goeldi no século XIX na região do Cunani.

O povo que cavou os poços tinha por hábito descarnar e separar os ossos de seus mortos, colocando-os em grupos separados nas urnas funerárias acomodadas em câmaras laterais ao buraco principal no solo. Os círculos de grandes pedras sobre o solo caracterizam que o local tinha função religiosa.

De acordo com Saldanha, há atualmente na região do Oiapoque índios que têm modo semelhante de sepultamento, mas não está claro se seriam descendentes do povo que viveu em Calçoene.

Fonte: Brasil, www.globoamazonia.com/ (28/02/2010)

OBS: Veja entrevista exclusiva com João Saldanha e Mariana Cabral sobre anterior descoberta neste mesmo sítio no artigo "Observatório Celeste do Amapá - A Etnoastronomia nas culturas Amazônicas" (MARCADOR: Observatório Astronômico)

Nenhum comentário:

Postar um comentário