domingo, 10 de julho de 2011

Arqueologia da amazônia nos EUA

Aspectos das descobertas arqueológicas realizadas em Rondônia na área de influência das Usinas do Rio Madeira, achados no Acre e em algumas regiões amazônicas do Brasil e da área internacional estão sendo promovidas no livro Arqueologia da Amazônia Tridimensional do ativista e jornalista ambiental Hercules Góes. O autor pesquisa o tema há alguns anos na Amazônia através dos seminários internacionais de sustentabilidade.

Estas questões de interesse da comunidade internacional, além da questão do desmatamento da sela amazônica, da busca pela diminuição dos gases de efeito estufa e do alvo pela justiça climática estão no livro que será lançado em algumas comunidades latino americanas, como na grande Los Angeles e também em Nova York.

O mês de julho foi o escolhido por ser o período onde os americanos estão focados nos festejos da independência, onde há abertura maior para difusão e recepção de temas nacionalistas inclusive de outros povos e culturas.

A Editora Ecoturismo e a Revista Ecoturismo promovem e apóiam estes lançamentos durante todo este mês, e servindo para reforçar a imagem de busca de equilíbrio sustentável das pessoas e entidades na região amazônica no momento em que o Brasil se prepara para receber a Rio Mais 20, a Conferência de Mudanças Climáticas após a Eco 92 e comprometido com a transição para uma economia verde com baixo carbono.

O livro Arqueologia da Amazônia Tridimensional trata também de estudos e pesquisas das comunidades indígenas amazônicas neste equilíbrio sustentável, abrindo ênfase para a tribo comandada por Almir Surui e seus projetos que foram encampados pelo Google mudando a cara daquele portal com viés damazônico e indigenista.

Os temas são parte do último seminário realizado em Rondônia em 2010 denominado Seminário Internacional de Sustentabilidade e preparatório da 9ª edição do mesmo evento em novembro de 2011 na capital rondoniense, com a presença de arqueólogos renomados, ambientalistas e membros da classe política discutindo o papel das Usinas do Rio Madeira, Belo Monte e compromissos com metas sustentáveis que serão levadas a Cop 17, bem na rota da Rio Mais 20 que acontecerá no próximo ano no Rio de Janeiro no Brasil.

Os lançamentos acontecerão em diversas comunidades ao longo do mês de serão divulgados durante este período.

O autor que é amazônico lembra que nos EUA há grande preocupação pelas novas tendências da região, principalmente com a proliferação das Usinas Hidrelétricas amazônicas, e pela busca de metas de redução do desmatamento.

Fonte: http://www.onortao.com.br/ler.asp?id=44368 (05/07/2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário