Mistério em redor de esferas de pedra da Costa Rica continua


UNESCO pretende atribuir estatuto de Património da Humanidade à descoberta

As estranhas esferas de pedra da Costa Rica ficaram famosas depois de aparecerem no filme «Indiana Jones – Em busca da arca perdida». Entretanto, já se conhece a existência de pelo menos 300 e a UNESCO está a pensar em atribuir-lhes e estatuto de Património da Humanidade.

As bolas têm vários tamanhos e a maior pesa 16 toneladas e mede dois metros de diâmetro, encontrando-se na maioria na região de Delta de Diquís. As mais antigas devem ter aparecido por volta do ano 600 d.C. Os investigadores não têm explicação para a sua existência, ou seja, o que significavam para quem as esculpiu. Mas, também se incluíram outras teorias pelo meio, como o facto de poderem estar relacionadas com Stonehenge ou as estátuas da Ilha de Páscoa.

John Hoopes, um antropólogo da Universidade de Kansas, e a sua equipa, deslocaram-se até à Costa Rica para estudar as esferas e avaliar a sua importância, para determinar se de facto vale a pena proteger o local. Algumas já se encontram danificadas devido a erosão, incêndios e vadalismo.

O investigador norte-americano, especializado em culturas antigas da América Central e do Sul, realizou vários testes de radiocarbono em depósitos arqueológicos para determinar a sua idade, embora admita que seja um método pouco eficiente – o método apenas dá resposta à última vez que foram usadas, mas não à data da sua criação.
Não aos extraterrestres

Hoopes rejeita especulações “fantásticas” que sugerem visitas extraterrestres e explica que as esferas estão relacionadas com a cerâmica e materiais típicos das culturas pré.columbianas do Sul da Costa Rica. “Foram fabricadas picando, moendo e traçando-as com um martelo e algumas ainda têm mesmo marcas dos golpes”, sublinhou.

O investigador refere ainda que quem as fez “não deixou nenhum documento”. “Apenas temos dados arqueológicos para reconstruir o contexto, já que pistas da cultura das pessoas da época desapareceram pouco depois da conquista espanhola”. Hoopes criou uma página de internet que declinam conceitos erróneos sobre as esferas, que nada têm a ver com cidades perdidas ou naves espaciais.

Fonte: www.cienciahoje.pt (24/03/2010)

Comentários

  1. Interessante. Pensava que estavam relacionadas aos Maias, ou talvez aos Mochicas peruanos...

    muito bom teu site, hein!

    ResponderExcluir
  2. Se a pedra foi criada a golpes, pois lá estão as marcas, qual é a idade da marca do golpe? ou será que os golpes nas pedras poderiam ter aparecido depois?

    ResponderExcluir
  3. Na época, o Ser Humano não tinha tal tecnologia para em geral realizar grandes criações e construções em pedras. Sempre falam em toneladas, em grandes alturas, em grandes distâncias, e sempre não existem explicações. Já que não existe explicações de como o Ser Humano conseguiu realizar tais feitos, o certo seria não atribuir os feitos para os Seres Humanos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CARAL: LO QUE REVELA EL HALLAZGO ARQUEOLÓGICO PERUANO DEL 2016

Estudio revela cuál fue causante de muerte de aztecas en México

Descubren en Guatemala rastros de un primer colapso en la civilización Maya