quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Descoberta no Chile mina de 12.000 anos, a mais antiga das Américas

(AFP)

SANTIAGO — Um grupo de arqueólogos da Universidade do Chile anunciou a descoberta, no norte do país, de mina de óxido de ferro de 12.000 anos, considerada a mais antiga encontrada até o momento nas Américas.

Segundo o jornal El Mercurio, a mina fica perto da localidade de Taltal (1.100 km ao norte de Santiago) e, segundo os primeiros estudos, foi explorada por grupos da cultura Huentelauquén, que extraíam óxido de ferro - mineral usado como pigmento para tingir, muito presente nos rituais religiosos.

Segundo o responsável pela investigação, Diego Salazar, foram tiradas na época 2.000 toneladas de pigmento, equivalentes a 700 metros cúbicos de rocha, um dado considerado relevante pelos cientistas, porque demonstra que os seres humanos da pré-história tinham estrutura menos básica do que se considerava até agora.

A jazida, batizada San Ramón 15, foi descoberta em outubro de 2008, mas só agora pôde ser comprovada a idade real da mina, graças a exames realizados em laboratórios dos Estados Unidos e da Polônia.

Segundo as investigações, a mina foi trabalhada durante dois períodos: por volta de 10.000 a.C, e em torno de 2.000 a.C, extraindo-se quantidade considerável de mineral, a julgar, também, pelas ferramentas que utilizavam, constituída basicamente de martelos de pedra e conchas.

Antes desta descoberta, a mina mais antiga das Américas estava localizada nos Estados Unidos, datando do ano de 2.500 a.C. Na África do Sul foi encontrada uma jazida de 40.000 anos de idade.

Fonte: http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5hsinT5m6E10sKIV7hF28UO3Ivl_g?docId=CNG.6d7f589ffda8f7872db253a055eed2f7.4f1 (05/12/2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário